Qual é a diferença entre UI e UX e porque investir | Venturus

Qual é a diferença entre UI e UX e porque investir

Atualmente, tem se tornado cada vez mais evidente que UI e UX são essenciais para o desenvolvimento de diversos tipos de produtos, de produtos físicos a sistemas e aplicativos diversos. Criar produtos que atendam a necessidades reais do usuário é essencial para evitar retrabalhos, gastos desnecessários e até mesmo ter que recomeçar todo um projeto.

Apesar de UI e UX serem termos bastante utilizados no mercado, existem dúvidas sobre o significado e a forma de aplicação de cada um deles no projeto de desenvolvimento de um produto.

Para falarmos sobre esse tema, conversamos com Antônio Salgado, que é Designer Sênior e Líder do capítulo de UX/UI na Venturus, que nos explicou em detalhes as principais diferenças entre essas duas especialidades, os benefícios de sua utilização e por que vale a pena investir nisso. Continue conosco e boa leitura!

 

O que é UI e UX?

UI — User Interface ou Interface do usuário — e UX — User Experience ou Experiência do Usuário — representam duas áreas de atuação do Design. Elas possuem o objetivo de gerar produtos capazes de proporcionar a melhor experiência possível ao usuário.

UI representa a interface gráfica, ou seja, é o que o usuário vê e com o que ele interage com o produto. UX vai além do físico e procura entender o usuário de forma mental e emocional.

 

Quais são as principais diferenças entre UI e UX?

Em teoria, UI é parte de UX: a interface é parte da experiência do usuário. No mercado profissional, no entanto, há uma separação maior de habilidades e interesses dessas duas especialidades.

Para explicar as principais diferenças entre UI e UX, vamos pensar na metodologia Double Diamond (Duplo Diamante), que divide a criação de projetos criativos em 4 etapas específicas: Descoberta, Definição, Desenvolvimento e Entrega.

As partes de descoberta e definição fazem parte do primeiro diamante. Nesses estágios, são feitas pesquisas e a definição do projeto. O segundo diamante, por sua vez, representa as fases de desenvolvimento e entrega.

Um designer que trabalha somente com o primeiro diamante terá o foco na pesquisa e na definição da estratégia. Esse profissional é um especialista em UX. Dentro deste campo, ainda há várias subáreas que podem ser refletidas em cargos especializados, como UX Researcher, UX Strategist ou UX Writer.

Os designers focados apenas em UI são aqueles que realizam atividades referentes ao segundo diamante. Quando trabalham com produtos digitais e interface, esses profissionais realizam o desenho de fluxograma, design de interação, a prototipação e desenho de telas, além de cuidar da entrega e fazer a validação com usuários e testes de usabilidade.

 

UI e UX design são essenciais na criação de produtos

UI e UX design são essenciais na criação de produtos

 

Designers focados no segundo diamante também podem trabalhar com outros tipos de produtos físicos. Nesses casos, eles ajudam na criação do produto em si, de acessórios e até suas embalagens.

Embora um time possa ter profissionais distintos atuando nestas funções, é importante entender que eles não trabalham sem contato. Como o próprio Double Diamond implica, o trabalho de pesquisa deve servir de base para a interface com o usuário que, por sua vez, precisa ser validade através de pesquisa.

Assim, esses profissionais atuam de forma conjunta, dentro de um time. É bastante comum que um profissional em início de carreira seja exposto a experiências em todas as áreas cobertas por Design. Em times menores, designers podem ser responsáveis pelo processo todo, mas muitos acabam se especializando de acordo com seus interesses e aptidões.

Um profissional que trabalha com todo o Double Diamond é chamado de designer generalista. Ele realiza tanto atividades de UX quanto de UI. Esse profissional pode trabalhar em etapas relacionadas a pesquisa, definição, estratégia, prototipação e depois a entrega. No mercado, pode ser chamado de designer UX/UI ou apenas designer UX.

 

Quais são os benefícios de UI/UX e por que investir neles agora?

O principal objetivo de UI e UX é entregar valor ao usuário através da melhor experiência possível. Isso é feito de forma direta ou indireta, através de diferentes ganhos ao negócio:

 

Melhora da experiência do usuário

Quando um produto é planejado para atender às necessidades do usuário, ele realmente entrega valor a ele. Isso só é possível quando há um bom nível de entendimento sobre o que o usuário precisa e qual a melhor forma de oferecer isso a ele.

Para tanto, são realizadas pesquisas para entender as necessidades do usuário, modelagens do negócio e testes. Dessa forma, é possível pensar em uma estratégia de mercado e na estratégia para o produto que faça sentido para o público-alvo.

Um bom exemplo de como oferecer uma boa experiência ao usuário é o Netflix. Até bem pouco tempo atrás, o conceito de entretenimento em casa era bastante dependente da programação da TV a cabo paga. A experiência oferecida pelo Netflix modificou esse formato padrão para algo que ninguém sabia que precisava, tornando sistemas de streaming a nova referência para o lazer em casa. Hoje, esse novo modelo já faz parte do nosso dia a dia.

 

Fidelização de usuários

A boa usabilidade do produto ajuda na fidelização de usuários. Isso acontece porque produtos bem desenvolvidos agregam valor a quem os utiliza.

A experiência do usuário é definida por diversos elementos. Peter Morville propõe um modelo de representação do ecossistema de experiência do usuário chamado User Experience Honeycomb (Favo de Mel da Experiência do Usuário).

O modelo possuí 7 elementos. Segundo eles, um produto deve ser:

  • Útil: pode ser que você consuma produtos inúteis. De início, eles até conquistam e empolgam, mas a verdade é que, ao perceber a inutilidade do que foi adquirido, você só sentirá frustração;

 

  • Usável: o produto deve seguir regras mínimas de usabilidade para que o usuário alcance seu objetivo de forma satisfatória;

 

  • Encontrável/Localizável: qual a facilidade de encontrar o produto? O PS5, por exemplo, foi lançado no final de 2020 e até hoje possui fila de espera para a sua compra. Como é a experiência de quem está nessa fila há 1 ano? Será que ainda está esperando ou já migraram para outro produto?

 

  • Crível: qual a confiança você traz para o produto? Algumas pessoas associam a confiança à marca. Assim, evitam ou compram produtos de acordo com a sua marca;

 

  • Desejável: seu produto deve gerar uma reação emocional de desejo no seu potencial usuário. Seja por questões estéticas, memória afetiva ou outros elementos;

 

  • Acessível: crie uma experiência que possa ser aproveitada por todos, com as suas diferenças. 15% das pessoas do mundo tem algum tipo de deficiência com graus variados, é essencial considerar isso quando projetamos um produto.

 

Melhoria da imagem no mercado

Quem nunca adquiriu um produto porque viu alguma propaganda sobre ele e depois se decepcionou em pouco tempo de uso? A má experiência do usuário gera frustração e prejudica a imagem do produto no mercado. Quando o usuário não tem uma boa experiência com ele, a taxa de satisfação vai ser baixa e isso vai gerar detração — ou seja, perdas diretas e indiretas ao negócio.

Em contrapartida, produtos que promovem a boa experiência do usuário caem no gosto das pessoas e passam a ser indispensáveis. A entrada do Nubank no mercado, por exemplo, gerou uma mudança que acabou influenciando bancos com modelos tradicionais — e já estabelecidos, com muitos clientes — a se adaptarem ao modelo digital.

Eles passaram a oferecer uma nova gama de serviços e experiências para se manterem competitivos diante desta mudança nos hábitos de seus usuários.

 

Processo de desenvolvimento mais assertivo

A realização de uma boa pesquisa sobre a viabilidade de um produto traz benefícios mais uma vez, pois, com ela, é possível ter uma noção melhor do que os usuários precisam. Dessa forma, podemos desenvolver uma solução mais eficiente. Mesmo que seja preciso fazer alguma melhoria, ela será menor que um produto desenvolvido sem essas referências.

Fazer estudos bem-feitos e criar uma interface bem direcionada reduz o custo para desenvolver o produto, pois resulta em iterações de produtos cada vez mais assertivas. Dessa forma, o processo requer menos ciclos de desenvolvimento. O resultado é a redução de despesas com a correção do projeto, mesmo com a utilização de metodologias ágeis, que realizam melhorias constantes nos produtos desenvolvidos.

 

O processo de descoberta com design

O Product Discovery é uma metodologia utilizada pela Venturus para auxiliar as empresas no desenvolvimento de seus produtos. Ele põe em prática o Double Diamond, utilizando ambas as especialidades de UI e UX e materializando todos os seus benefícios, ajudando times a fazer o desenho e validação completa do produto proposto. Isto é, você pode ter um Product Discovery para ajudar a conceber um produto, para validá-lo ou até para entender quais melhorias ele necessita.

Esse processo é essencial para o sucesso de produtos e serviços — é imprescindível verificar se há uma necessidade real a ser atendida e como isso deve ser feito. Muitas startups não dão certo, ou seja, desistem ou deixam de existir exatamente por esse motivo: quando o produto é lançado, percebe-se que não há interesse de mercado no que está sendo oferecido.

Outras duas razões são a falta de dinheiro, que é uma consequência de ter um produto que não vende e da montagem errada do time, pois o produto foi concebido errado. Esses motivos demonstram que a falta de planejamento e estudo em relação ao projeto inicial é crucial para a ocorrência desse desfecho trágico.

O Product Discovery proporciona a vantagem de validar realmente o produto que será entregue. Dessa forma, é possível verificar se haverá entrega de valor aos usuários com aquele produto, além de ajudar a identificar pontos de melhoria logo na fase inicial, de pesquisa e na definição sobre o que representa realmente a validação dos desejos dos usuários.

Para garantir o desenvolvimento de produtos com qualidade e capazes de encantar aos seus usuários, é imprescindível entender as necessidades do usuário. Esperamos que as explicações fornecidas pelo Antônio Salgado tenham esclarecido as principais dúvidas sobre UI e UX, sobre os benefícios de sua aplicação para o desenvolvimento de produtos e como o Product Discovery pode ajudar nesse momento.

Agora que você já sabe como UI e UX são importantes para o sucesso de um produto, acesse o nosso site e descubra como o design pode ajudar a sua empresa!

Veja mais
Carreiras
Redação Venturus

Como criar uma rotina de estudos?

Manter o ritmo de estudos pode ser bem desafiador, principalmente quando você está buscando dar aquele upgrade nos seus conhecimentos e técnicas para o mercado
Leia mais »

Entre em contato

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.