Entenda como será a casa do futuro

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Nos dias atuais, a Transformação Digital é uma realidade em diversos segmentos da sociedade. Os avanços tecnológicos — em conjunto com os desafios e as demandas apresentadas pela sociedade e em busca contínua por maior eficiência, melhores resultados, novos modelos de negócios em produtos e serviços — têm impulsionado esse processo de transformação.

Esse processo de ruptura com modelos de negócio tradicionais impacta diretamente a vida de setores, segmentos, empresas e consumidores em seus diversos níveis. Exemplos não faltam quando fazemos uma rápida busca pelas empresas mais valorizadas nos últimos anos: serviços de streaming e de conteúdo, logística, alimentação, serviços bancários digitais e novos meios e sistemas de pagamentos, viagens, varejo em geral, hospedagem e hotelaria, dentre outros.

Ao mesmo tempo, a sociedade encontra-se cada vez mais conectada, digital, engajada e ativa, tendo à sua disposição o acesso a qualquer conteúdo a um clique, definindo novos paradigmas e tendências — e tendo um papel ativo nesse processo de transformação de forma involuntária e natural.

Dentre os setores impactados, pode-se destacar o segmento de Utilities, em especial o setor elétrico, que ainda opera segundo um modelo de negócios tradicional e com forte regulação nas cadeias de geração, transmissão e distribuição de energia. As empresas do setor levam a energia gerada até a residência do consumidor, mas não possuem atuação dentro da residência, parando sua interação no medidor de energia. Assim, o setor tem suas metas de desempenho e margens de retorno definidas por meio de revisão tarifária. Diante desse cenário, a inovação e a transformação digital são importantes diferenciais competitivos.

Nesse contexto, de um lado há a busca por maiores índices de produtividade e aumento da eficiência operacional — e, consequentemente, por melhores resultados técnicos e financeiros — concomitantemente ao atendimento dos indicadores regulatórios. Do outro lado, há a necessidade de mudar o mindset associado ao negócio de forma a identificar, criar e explorar novos produtos, serviços e modelos de negócio. Estas oportunidades, muitas vezes localizadas além das fronteiras convencionais do setor e materializadas no medidor de energia, permitem gerar negócios não regulados, além de engajar e fidelizar os consumidores em seus diversos níveis (residenciais, comerciais e industriais).

Uma das fronteiras a ser expandida relaciona-se com o conceito Beyond the Meter (Além do Medidor). Nesse conceito, as empresas devem explorar oportunidades dentro das instalações dos clientes, ultrapassando a fronteira do medidor de energia. Assim, o conceito propõe que as empresas do setor elétrico se questionem sobre quais produtos, serviços e modelos de negócio podem ser criados para atender às necessidades dos clientes dentro de suas casas, empresas etc.

Tomando uma residência, por exemplo, as empresas devem se questionar sobre quais produtos e serviços podem ser criados para atender demandas dos consumidores na redução e gestão do consumo de energia por meio da conectividade entre eletrodomésticos. É necessário pensar em como oportunizar novos modelos de tarifa, como melhorar o conforto térmico e a ambiência, dentre outras possibilidades. Para tanto, é fundamental explorar todas as possibilidades geradas pela evolução tecnológica em termos de Internet das Coisas (IoT), Sensoriamento, Comunicação, Inteligência Computacional, Conectividade, em conjunto com toda a potencialidade proporcionada pelos conceitos relacionados à Rede Elétrica Inteligente (Smart Grid).

O fato é que já existem empresas de outros segmentos, como Apple, Google, Amazon e Tesla, que já estão pensando em produtos para a comodidade e conectividade de residências. Pode-se citar os controladores de temperatura e ambiência da NEST, empresa adquirida pela Google em 2014; sistemas de armazenamento de energia Powerwall, fabricados pela empresa automotiva TESLA; assistentes de voz inteligentes, como a Alexa, da Amazon.

Estas e outras inovações em tecnologias não intrusivas de medição e controle de energia, soluções de mobilidade elétrica e de gestão do consumo permitem, quando integradas, que o consumo e o uso da energia elétrica em unidades consumidoras sejam mapeados. Com isso, potencializam-se os benefícios relacionados à Eficiência Energética, Geração Distribuída e Armazenamento de Energia.

Nesse contexto, um dos projetos de destaque em desenvolvimento no Venturus é o Projeto Casa do Futuro. Ele tem como objetivo conceber, desenvolver e integrar diversas soluções para uma residência do futuro. Com base no conceito Beyond the Meter, este projeto desenvolve, aplica e testa diversas tecnologias de hardware e software, de forma a criar soluções integradas para atender às necessidades de uma residência — considerando aspectos como climatização e ambiência, segurança, assistência pessoal e gestão e monitoramento remoto. Muitas dessas inovações já são realidade, de acordo com os seguintes exemplos:

  • Climatização e ambiência: com o Microclima, é possível fazer a gestão dos ambientes da residência através do monitoramento da temperatura, umidade e poluição do ambiente (CO2), variáveis que tem impacto direto com a qualidade de vida. É possível proporcionar o controle do ar condicionado, da modulação da luminosidade e do som ambiente, explorando novas interfaces com os usuários, como mensagens de texto ou comandos de voz. Além disso, está prevista a criação de um modulo de gestão do consumo de energia integrado, possibilitando ao usuário final a redução dos gastos com energia para esses dispositivos.
  • Localização: o dispositivo chamado Indoor Positioning permite a identificação e a localização dos indivíduos presentes na residência através de uma solução multimodal, com tecnologias baseadas em sensores, IoT, reconhecimento de voz e imagem. A solução também pode ser utilizada para oferecer outros serviços, como controle de acesso e segurança.

Google Nest Thermostat

Exemplo de termostato inteligente Nest do Google que, segundo a empresa, pode reduzir o consumo de energia residencial de 10% a 15%.

Outro conceito apresentado na casa que utiliza localização e ambiência, é o Follow-me Radio, uma aplicação da Casa do Futuro que permite que o usuário ouça sua música enquanto caminha pela residência. A solução redireciona o áudio automaticamente para o cômodo no qual a pessoa se encontra. Através da análise da voz, a solução pode, ainda, identificar o estado emocional do indivíduo (alegria, tristeza, raiva ou medo) e ajustar a iluminação ou mesmo a trilha sonora;

  • Assistente pessoal: a Casa do Futuro possui um assistente pessoal, Before you leave, criado para informar ao indivíduo atividades rotineiras e profissionais, de forma integrada a agendas e demais aplicativos do celular. A solução identifica o momento em que o usuário está saindo da residência e o informa sobre eventos importante para o dia, como uma reunião ou o vencimento de uma conta. O serviço pode, futuramente, incluir recomendações baseadas em outros elementos, como o clima ou o trânsito, ajudando o usuário a não perder um compromisso importante, pagar uma conta ou simplesmente lembrá-lo de pegar o guarda-chuva;
  • Gestão multimodal: todas as funcionalidade apresentadas acima, ainda podem estar conectadas a gestão da Casa do Futuro, feita através de diferentes dispositivos, como smartphone, TV digital ou assistentes pessoais, como Alexa. Nessa solução multimodal o usuário pode, por exemplo, visualizar dados históricos em um dashboard em sua TV digital e modificar o estado da casa por comando de voz através da Alexa. Quando não estiver em casa, o usuário também pode interagir com a casa através de seu smartphone, visualizando informações importantes ou enviando comandos remotos.

O projeto Casa do Futuro representa uma aplicação prática do conceito Beyond the Meter. Todas as aplicações integradas estão à disposição do setor elétrico e podem ser visualizadas por meio de uma plataforma em realidade aumentada. Essas aplicações procuram investigar e identificar novos produtos e serviços que podem ser explorados (de forma isolada ou de forma conjunta) para trazer novas perspectivas ao setor de energia.

Iniciativas como a Casa do Futuro podem ser o diferencial para muitas empresas no setor elétrico, encontrando novas formas de atender às necessidades reais de clientes. Para as empresas do setor é importante explorar as oportunidades nesse novo mercado, pois empresas de outros segmentos já começam a desenvolver soluções para essa área. Assim, não é uma questão de apenas descobrir novos caminhos, mas fazer um futuro que faça sentido para o setor elétrico e para as mudanças nos modos de vida e fidelização de seus consumidores.

Conheça esta e outras iniciativas do Venturus no setor elétrico em https://www.venturus.org.br/

Veja mais
Não categorizado
Laura Pereira

O que é Blockchain?

Em 1991, é criada uma das tecnologias mais disruptivas da época e a mais segura até o momento. A Blockchain ganhou fama em 2018, quando
Leia mais »
IA
Mauricio Vidal

O que são GANs?

A Inteligência Artificial (IA) é, atualmente, um dos tópicos mais relevantes da tecnologia, com um enorme potencial na área empresarial. Ela deve ser tratada com
Leia mais »
Campinas / SP - Brasil

Estrada Giuseppina Vianelli di Napolli, nº 1.185
Condomínio GlobalTech Campinas
Polo II de Alta Tecnologia
CEP 13086-530 – Campinas – SP
+55 (19) 3755-8600

+55 (19) 3755-8600
contato@venturus.org.br

Bitnami